gestao-odonto

Organizar ou padronizar?

Durante todo esse tempo envolvido com a gestão operacional de nossos clientes na busca constante do aprimoramento do atendimento prestado por suas equipes sempre me deparei com essa questão: padronizar para organizar ou organizar para padronizar?

Depois de refletir sobre essa questão filosófica, administrativa e operacional cheguei a seguinte conclusão: quando utilizamos o verbo padronizar pensamos em algo automático com pouca personalização ou customização, passando a impressão de que todos os clientes deveriam ser atendidos da mesma forma, e é claro que em alguns casos essa padronização se torna necessária, por exemplo, citando as cadeias de restaurante “fast food”, todos os processos são padronizados desde o preparo da comida até o atendimento ao cliente gerando um ganho de tempo no atendimento, sendo que o cliente na busca desse tipo de produto não espera um atendimento personalizado, mas sim a conveniência de uma refeição rápida.

E nas nossas clínicas, a padronização dos nossos processos de atendimento garante uma organização operacional efetiva e um atendimento adequado a cada tipo de cliente?

Depende! Algumas clínicas trabalham como as redes de “fast food”, padronizando seus processos de atendimento ao máximo para atender uma grande demanda de clientes em tempo reduzido, priorizando a velocidade nos atendimentos em relação à adequação do atendimento ao perfil de cada cliente. Errado? Não, se o cliente que ele definiu como seu target valorizar mais a rapidez do que a personalização. O problema acontece quando padronizamos um processo que não está organizado. Quer dizer, padronizamos a falha!

Ferramentas de padronização operacional (fluxogramas, check lists e manuais etc.) contribuem para o desenvolvimento de um processo organizado, permitindo a compreensão de todas as ações realizadas durante o atendimento aos nossos clientes (atendimento telefônico, administração de agenda, recepção, etc.) e também das tarefas que oferecem suporte a esse atendimento (controle de trabalhos protéticos, controle de radiografias, controles financeiros etc.).

Portanto, caro amigo, organize antes de padronizar!

Marinho Pinheiro Teixeira é Coordenador de Gestão da Altera – Centro de Inteligência em Serviços

shutterstock_117941986

Líderes do setor de equipamentos odontológicos, Dabi Atlante e Gnatus anunciam fusão

Dabi Atlante e Gnatus anunciam fusão com foco em exportações

Concorrentes históricas do setor de equipamentos odontológicos surpreendem mercado ao se unirem.

IMG_3057-0Duas tradicionais concorrentes do mercado odontológico brasileiro, a Dabi Atlante e a Gnatus, surpreenderam o mercado nesta segunda-feira, 12 de janeiro, ao anunciar que iniciaram um processo de fusão entre si. As empresas aguardam aprovação do Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica para dar sequência no processo.

Somadas, as operações das duas companhias contam com 1.100 colaboradores, vendas estimadas para este ano de R$ 300 milhões, e exportações para cerca de 150 países. As empresas, que têm sede em Ribeirão Preto (SP), emitiram um comunicado afirmando que o objetivo da fusão é a criação de uma companhia mais forte e competitiva, com maior atuação global e com foco não só na área odontológica, mas também em outros segmentos da saúde.

Dabi Atlante e Gnatus afirmam ainda que suas marcas devem permanecer inalteradas e atuando separadamente. As fabricantes enfatizam que a fusão não afetará as condições comerciais de cada companhia, sendo que a atual concorrência em algumas linhas de equipamentos odontológicos será mantida em vigor.

“Apesar da concorrência acirrada, sempre houve uma admiração mútua entre a Dabi e Gnatus. Com a entrada de novos players no mercado e o assédio internacional às companhias, sentimos a necessidade conjunta de potencializar nossas atuações no segmento da saúde através de uma fusão”, analisa Pedro Biagi Neto, presidente da Dabi Atlante.

“A fusão surge a partir de um processo maduro para garantir a consolidação das duas companhias e capacitá-las para entrarem em outros segmentos e mercados. A inovação faz parte do DNA das duas empresas que continuarão oferecendo novos produtos e serviços ao mercado”, afirma Gilberto Nomelini, presidente da Gnatus.

As empresas aguardam o sinal verde do Cade para anunciar o Conselho Administrativo que vai dirigir a empresa. Até lá todas as atividades, funções e cargos seguem de forma normal e independente. O plano é que as duas empresas consigam crescimento anual de dois dígitos, acima da média do mercado de 8%, conforme dados da Abimo – Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios.

 

balada

Beijo daqui… Beijo dali… Conheça os riscos da folia

Mononucleose, herpes, hepatite B… Uma folia na balada!

Cena comum nas baladas é ver pessoas trocando beijos no embalo da noite. O ato, que aparentemente não apresenta perigo, deve ser encarado com cautela. Doenças como a mononucleose, herpes e hepatite B podem ser transmitidas pela boca. Muitas vezes as pessoas têm o vírus, mas não sabem…

Isso porque, em muitos casos, essas doenças não se manifestam e nem apresentam sintomas visíveis. Apenas de olhar não é possível descobrir quem tem um ou outro tipo de vírus. E a pessoa pode transmitir a doença mesmo sem saber que está contaminada.

Além de higiene e bom senso social, alguns cuidados podem ser tomados para se prevenir. O único modo de não correr o risco de pegar alguma das doenças é não beijar. Para correr menos risco, o ideal é limitar o número de parceiros ou parceiras. Quanto mais beijar, mais exposto você fica. Além disso, é importante observar se a pessoa tem lesões aparentes na boca, como ferimentos, fissuras ou sangramentos, o que é praticamente improvável que se faça numa balada.

Com noites mal dormidas, bebidas e uma alimentação irregular, a resistência do corpo cai e a chance de um vírus se multiplicar aumenta. Por isso, é importante tentar comer bem, se hidratar e tentar descansar o máximo possível para minimizar a baixa residência do corpo.

A mononucleose, também conhecida como “doença do beijo”, acomete principalmente jovens de 15 a 25 anos e os sintomas são febre, cansaço, dor de garganta e ínguas na região do pescoço. Por conta do mal-estar que causa, essa doença é muito confundida com uma gripe forte, fique atento.

Já a herpes pode ser reconhecida caso a pessoa apresente vesículas (bolhas com líquido) nos lábios ou ao redor dos lábios, o que nem sempre ocorre, ou crostas de cicatrização das vesículas (fase final da herpes). Uma vez que você pegou herpes, terá o vírus para o resto da vida, mas as feridas só aparecem quando a resistência do corpo cai por conta de muito sol ou stress, por exemplo.

A hepatite B, transmitida principalmente via contato sexual sem proteção, também dá o “ar da graça” em noites agitadas com relacionamentos, e pode passar através da boca por causa do sangue contaminado. Isso pode acontecer se você tiver um machucado na boca e o parceiro também. Os sintomas principais são febre no final da tarde e enjôos. Também é possível ficar com a pele amarelada, mas isso é mais comum na hepatite do tipo A. Quem tomou a vacina não precisa se preocupar.

Então fica o alerta para as horas de festa… E só para não deixar de completar a conversa… Se a noite se prolongar, lembre-se que a AIDS também está por aí.

dentista-policial

Após 8 meses na cadeia, dentista presa por tráfico ganha a liberdade e vai andar de tornozeleira

dentista-gataA dentista Marina Stresser de Oliveira, de 27 anos, foi libertada no final da tarde desta quinta-feira (15), após passar oito meses na cadeia. Ela foi presa em flagrante por policiais civis da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) na garagem de seu consultório no dia 11 de novembro de 2014, no momento em que entregava uma espingarda calibre 12 e uma pistola nove milímetros municiada a um homem.

Agora, a dentista ganhou liberdade provisória. A informação da soltura foi confirmada ao site G1 pelo advogado Fernando Sobrinho, que trabalha para ela. Segundo ele, o processo continua em trânsito na Justiça e a sua cliente terá uma série de restrições. Vai, entre outras coisas, andar de tornozeleira eletrônica e terá que se apresentar à polícia uma vez por mês.

Marina ficou conhecida em todo o país porque parecia estar acima de qualquer suspeita: uma dentista jovem, bonita e de família rica e tradicional. Ninguém podia imaginar que no consultório em que atendia os clientes, estava escondida uma quantidade assustadora de drogas, armas e munição. Na prisão, ela ganho o apelido de “Dentista Gata”.

Na delegacia, questionada o que tinha a dizer a seus clientes, a dentista falou: “agenda, só no ano que vem”. Ela também foi irônica ao não querer mostrar o rosto às câmeras, dizendo que é “bonita sem maquiagem”.

“Até os dentes”

Segundo a Polícia Civil, no momento da prisão a dentista estava “armada até os dentes”. Em revista ao consultório, foram localizadas 30 munições de fuzil. Na residência da dentista, também no Xaxim, foram encontrados uma submetralhadora 9 milímetros, um carregador municiado com munições de 9 milímetros, 1, 3 quilos de crack, 2 quilos de maconha e uma balança. Em outra casa mantida pela dentista para armazenagem de entorpecentes, localizada no Campo do Santana, foram encontrados mais 13,5 quilos de maconha, uma balança de precisão e 4 munições calibre 38.

 

Bela Gil ensina receita natural para escovar dentes e vira piada na net

As receitas saudáveis que Bela Gil apresenta em seu programa culinário no GNT despertam paixões. Além do sucesso entre quem prefere deixar os alimentos industrializados bem longe da mesa, os pratos naturebas da chefe também costumam movimentar a web — que o digam o churrasco de melancia e a famigerada marmita saudável.

Na manhã desta segunda (20), outra dica da chefe de cozinha virou assunto nas redes sociais. Ela usou o seu perfil no Facebook para dar um sugestão BEEEM natural para seus seguidores: trocar a pasta de dentes por um tempero em pó chamado cúrcuma.

bela-gil

A sugestão de Bela dividiu opiniões entre os fãs da chefe, que questionaram seus conhecimentos sobre saúde bucal. “Hoje em dia, é recomendado pasta fluoretada até para os bebês. Muito cuidado com estas postagens milagrosas, comentou uma seguidora. Segundo o cirurgião dentista Mauro Piragibe Junior, não há nenhum trabalho científico que comprove a eficácia da especiaria em substituição à pasta comum. “Inclusive ela cita que a cúrcuma não contêm flúor, que é fundamental no processo de remineralização do dente”, completa o consultor da ABO (Associação Brasileira de Odontologia).

O método exótico (escovar dentes com um tempero em pó?), é claro, não escapou dos comentários debochados de alguns internautas. Confira as melhores piadas:

bela-gil-1

Brasil é o país que tem o maior número de especialistas em odontologia do mundo

Por Maria Celeste Morita

Presidente da Associação Brasileira de Ensino Odontológico (Abeno), professora associada da Universidade Estadual de Londrina, mestre em Saúde Pública de Países em Desenvolvimento pela Universidade de Paris VI, pós-doutorado pelo Observatório de Recursos Humanos Odontológicos da FO-USP

Presidente da Associação Brasileira de Ensino Odontológico (Abeno), professora associada da Universidade Estadual de Londrina, mestre em Saúde Pública de Países em Desenvolvimento pela Universidade de Paris VI, pós-doutorado pelo Observatório de Recursos Humanos Odontológicos da FO-USP

Em 2010, a região sudeste brasileira detinha 56% dos cirurgiões-dentistas  especialistas, ou seja, 30.233 profissionais. Em 2013, esse número salta para 87.706 dentistas especializados. O Brasil é o país com o maior número de especialidades na Odontologia – 19 delas,  e também o com maior número de especialistas, enquanto na Europa há apenas duas especialidades que são reconhecidas pela maioria dos países – ortodontia e cirurgia – e  nos Estados Unidos e Canadá  são nove especialidades.

Estes dados foram parte de minha palestra na III Assembleia de Especialidades Odontológicas (Aneo), que aconteceu em outubro na APCD Central, promovida pelo CRO-SP.

A Aneo aprovou, em caráter consultivo, as  especialidades de homeopatia, acupuntura e  odontologia desportiva, que agora passarão pela etapa de deliberação do Conselho Federal de Odontologia para se tornarem especialidades odontológicas de fato. Também estão em estudo pelo CFO a mudança de nomes de duas especialidades: dentística, para dentística estética e restauradora; saúde coletiva e da família, para saúde coletiva; a unificação da ortodontia e ortopedia funcional e a habilitação de algumas especialidades.

Na palestra Odontologia – Áreas e Abrangência de suas Especialidades, abordei a as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) destacando que de acordo com o Art. 4 das Diretrizes, o cirurgião-dentista deve ser capaz de pensar criticamente, tomar decisões, ser líder, atuar em equipes multiprofissionais, planejar estrategicamente para contínuas mudanças, administrar e gerenciar serviços de saúde e aprender permanentemente. Aprender permanentemente significa ter o hábito de pesquisar na literatura frente a cada dúvida surgida durante o trabalho e não necessariamente recorrer a um curso de especialização.

Defendo que o objetivo da formação em odontologia é educar cirurgiões-dentistas capazes de promover, manter e restaurar  a saúde, respondendo às necessidades da população e que a pós-graduação ou a especialização só é possível sobre uma sólida base da graduação.

“É um equívoco pensar que cursos de especialização são indutores diretos de qualidade da assistência para ser um bom profissional, seja generalista ou especialista a graduação é pilar estruturante.

A ausência de critérios para definir a necessidade de especialidade e a abertura de cursos de pós-graduação lato e stricto sensu   atualmente atendem apenas  à intencionalidade dos formadores. O que não deveria acontecer e sim haver critérios que levassem em conta, além da qualidade, a necessidade da população. Seria preciso analisar dados epidemiológicos,pois empiricamente, há desequilíbrios:  concentração de cursos e oportunidade de especialização em determinadas regiões do país, falta de determinados especialistas, dificuldade de fixação de profissionais em determinadas áreas. É urgente criarmos parâmetros de avaliação dos cursos de lato sensu, seja para a abertura deles, condições de funcionamento ou criação de especialidades. O sistema atual leva à superespecialização e agrava os desequilíbrios existentes.

O que deve modular a criação da especialização? O que deve balizar a criação de novos cursos de especialização e especialidades na Odontologia são mudanças no conhecimento científico, avanços no diagnóstico, risco e tratamento de doenças, mudanças no perfil epidemiológico das doenças, mudanças no perfil demográfico da população e dos profissionais e  mudanças no mercado de trabalho.

Como benefícios e desafios da especialização, cito, no primeiro casos, a incorporação de novas tecnologias e a eventual possibilidade de o atendimento especializado  aumentar a resolubilidade da atenção. Já como desafios, temos a perda da capacidade de lidar com o todo; o aumento da incorporação da tecnologia, nem sempre necessária; a redução do conhecimento disponível para o clínico geral e a restrição do mercado de trabalho.

Deixo para reflexão conteúdo extraído da Conferência Mundial sobre Ensino Superior, Unesco, Paris, 1998, sobre como deve ser o Profissional Universitário do Século XXI:

” Preparar-se para estudar durante toda a vida – Ser flexível, não se especializar demais – Investir na criatividade, não só no conhecimento – Aprender a lidar com incertezas, o mundo está assim – Ter habilidades sociais e capacidade de expressão – Saber trabalhar em grupo – Estar pronto pra assumir responsabilidades – Ser empreendedor – Entender as diferenças culturais – Adquirir intimidade com novas tecnologias, como a Internet.”

 

Bioquímica da Saliva

saliva-testSaliva

Fluido aquoso, transparente, que é secretado pelas glândulas salivares diretamente na cavidade bucal. Seu maior componente é a água – sendo que o restante é formado por componentes orgânicos e minerais.

Contém imunoglobulina secretora A(IgA) lactoferrina , lizosima, etc. Possuem atividade antimicrobiana  servem para limitar o crescimento bacteriano. Possui propriedades anti fúngicas


Componentes salivares

1° Água 99% – limpeza, umidificação e proteção da mucosa;

2° Material orgânico – proteínas estaterina, betoferrina, lisojema e amilase;

3° Material inorgânico – Íons com carga: Ca+2, HCO3, F, H+, PO4-3

Volume de fluxo salivar (VFS)

Diário – 1 a 1,5 L.

Normal – 1,0 a 3,0 ml/min.

Baixo – 0,7 a 1,0 ml/min.

Hipossalivação – abaixo de 0,7 ml/min.

Xerostomia – abaixo de 0,1 ml/min.

 É importante medir a secreção salivar (Sialometria)?

Sim. Diagnostico de hipossalivação;
Avaliar a capacidade de temperamento (equilibrar o pH).

Fatores que afetam o VFS:

  1. A) Medicamentos – antidepressivos, narcóticos, diuréticos (controle da P.A);
  2. B) Radioterapia;
  3. C) Doenças auto-imunes – síndrome Sjogren;
  4. D) Menópaussa e contraceptivos;
  5. E) Anorexia, jejum e desnutrição;
  6. F) Diabetes.

Funções da saliva

  • Função digestiva: Amilase (degrada amido), degradação mínima;
  • Lubrificante/Solvente: Facilita a deglutição do bolo alimentar, solubilização dos alimentos, percepção do sabor;
  • Defesa/Proteção:  Proteínas antimicrobianas;
  • Mecânica: Lavagem das superfícies bucais;
  • Capacidade de tamponamento: Reação química de estabilização do pH (bicarbonato, fosfato, murinas).

Componentes inorgânicos

1 – HCO3 – Principal sistema de tamponamento. Junto com o HCO3, aparece também o H2CO3 (ácido carbônico).

Reação de neutralização de ácidos bacterianos

HCO3 + H+ H2CO3 H2O + CO2

Reação de neutralização de bases bacterianas

OH + H2CO3 HCO3 + H2O

2 – Calcio – é um cátion bivalente com pH < 5,5, utilizado em eventos de remineralização dentaria.

  • A concentração de Ca+2 depende do fluxo circardiano;
  • Ca+2 depende de medicamentos;
  • Cálcio ionizado – Ca+2 pH, aumenta o cálcio ionizado.
  • Cálcio ligado – CaF2

3 – Fluoreto (F)CaF2 – Na saliva a maior parte do flúor está ligado a concentração da ingestão de compostos fluoretados. Quando incorporado ao esmalte dentário forma Ca10(PO4)6(F)2 (fluorapatita), tendo efeito bactericida e bacteriostático.

4 – SCN (Tiocianato) – Responsável pela neutralização do H2CO2 bacteriano.

SCN + H2O2     Tiocianato
SCNO + H2O   Hipotiocianato

5 – Fosfato – tampão PO4-3 3°       ácidos = H+ + PO4-3 HPO4-3

HPO4-2   2°       bases = OH + HPO4 H2O + PO4 -3
H2PO4   1°

6 – Hidrogenio – Influencia a maioria das reações químicas da boca.

– Variavel principal;
– Medido através do pH.
– Fontes de H: a- secreção glandular;

b- fluidos transitórios;

c- metabolismo bacteriano.

*Está relacionado com o consumo de carboidratos fermentáveis.

Componentes orgânicos

1 – Proteínas – Macromoléculas formadas por aminoácidos.

1°: sequência de a.a;

2°: dobra;

3°: envolve;

4°: 2 ou mais proteínas se envolvem.

1.1 – Proteínas salivares

Função: Antifúngico, antiviral, antibacteriano, tamponamento, digestão, mineralização, lubrificação, proteção de tecidos.
Exemplos:

– Estaticina;
– Lisozima;
– Lactoferrina;
– Amilose;
– Proteínas ricas em prolina (a.a).

2 – Glicoproteínas – Proteínas que contem carboidratos ligados a eles.

  • Agregar células bacterianas (defesa).
  • Tamponamento (estabilizar o pH) – Favorecem a adesão de bactérias ao dente

3 – Estaterina – Pequena proteína salivar com segmento amino terminal negativo.

*Impede a formação de cálculo dentário.

4 – Proteínas ricas em prolina (PRP) – Tem como aminoácido predominante a prolina.

  • Função idêntica a Estaterina (impedir a formação de cálculo);
  • Influencia a adesão bacteriana aos dentes, sendo a principal proteína para esta função.

5 –  Amilase salivar – Enzima salivar responsável pela degradação de amido.

6 – Lisozima (LZ) – Proteína catiônica.

  • Efeito bactericida ativando autolizimas bacterianas;
  • Tem atividade de muramidase (destruir o ácido murâmico da parede celular).

7 – Lactoferrina (LZ) – Rouba o ferro da célula bacteriana

  • Efeito bacteriostático;
  • Efeito bactericida.

*Ferro é indispensável pela bactéria.
*Efeito bacteriostático.
*Rompe a parede (efeito bactericida) inofosa.

8 – Sistema Peroxidase – responsável pela neutralização do H2O2 produzido pelas bactérias.

9 – Aglutininas e fibronectina – são glicoproteínas com funções análogas às glicoproteínas, mas em menor quantidade

10 – Lipídeos e Carboidratos – Pequenas Quantidades

11 – Imunoglobulinas – São glicoproteínas antimicrobianas.

  • Exemplos: IgA, IgD, IgE, IgM e IgG (anticorpos);

O anticorpo IgA apresenta maior quantidade entre os anticorpos na saliva, tendo função de defesa.

 

Conheça mais sobre as questões envolvendo saliva, e ou a falta dela!

 

 

Gracyanne Barbosa coloca lentes de contato nos dentes; veja o resultado!

Musa fitness quis deixá-los mais brancos. “Quase todos os suplementos possuem cor’, explica ela.

Gracyanne Barbosa faz mistério com novo sorriso (Foto: Reprodução/Instagram)

Gracyanne Barbosa faz mistério com novo sorriso
(Foto: Reprodução/Instagram)

Há duas semanas, Gracyanne Barbosa desfila por aí com um sorriso mais branco. Esses dentes tão alvos possuem uma explicação: a musa fitness colocou lentes de contato neles.

“Coloquei umas que não desgastam para chegar a uma tonalidade que eu queria, sem me preocupar depois em manchar”, conta ela, aoEGO, nesta segunda-feira, 27.

“Coloquei porque quase todos os suplementos que uso possuem cor. E agora posso tirar quando quiser, já que as lentes não desgastam”, completa Gracyanne.

O procedimento foi feito com o mesmo dentista responsável pela mudança no sorriso de Belo. Mas, ao contrário do marido, que mudou toda a estrutura odontológica, Gracyanne apenas colocou as lentes ao redor dos dentes para deixá-los mais brancos do que já eram. E aí, aprovou?